31.07.2018

Como a tecnologia está transformando o mercado de transporte de passageiros

Tecnologia Rodoviário

Você conhece estes dados?

De acordo com o Anuário de Transporte Aéreo elaborado pela Anac, 109,6 milhões de pessoas viajaram de avião em 2016. E, apesar desse número ter caído 6,9% nos últimos dois anos, ele continua sendo relevante.

Se de um lado, as companhias aéreas representam uma parcela importante da concorrência das empresas de transporte rodoviário, a surpresa é que os aviões não são os maiores concorrentes.

De acordo com a Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, realizado pelo Ministério do Turismo, apenas 20,6% dizem viajar de avião.

Agora, esse número sobe para 39, 5%, quando informa sobre a preferência de quem opta por viajar no próprio carro.

Já quem diz viajar de ônibus representa 38,2% dos que responderam à pesquisa.

Ou seja, numa ordem de importância, amparada pelos números, pode-se dizer que a maior concorrência das empresas de transporte rodoviário não está nos voos, mas nos automóveis que as pessoas possuem ou dentro do próprio setor, em empresas que fazem concorrência direta.

 

Tecnologia e inteligência como diferenciais poderosos

Check-in, despacho de bagagens, programa de fidelidade, 1ª e 2ª classes. Se, antes, esse termos faziam parte do universo dos aeroportos, agora, as empresas de transporte rodoviário estão atraindo todos esses conceitos para se destacarem e se tornarem mais competitivas para o público.

Olha só o que diz Artur Morais, pesquisador da Universidade de Brasília (UnB), que realiza uma pesquisa sobre o transporte rodoviário brasileiro:

“Essa é uma tentativa de fidelizar os clientes e buscar aqueles que têm alguma restrição com o transporte aéreo. Antes o diferencial era o preço, que não existe mais. Até que enfim os empresários abriram os olhos e perceberam que o consumidor está mais exigente.”

 

Os 4 segredos das empresas de transporte rodoviário que mais crescem

Para crescer, toda empresa precisa de estratégia. Com o setor de transporte rodoviário não é diferente. Tomar decisões certas, inteligentes, e que vão de encontro ao que o cliente realmente quer.

Mas, o que será que ele realmente quer?

 

1 – O cliente quer sentir que a viagem foi preparada para ele

Das novidades do mercado, os novos ônibus Double Class unem tecnologia e formato assertivo na busca por agradar um segmento específico do público que viaja: jovens empresários.

Além desses ônibus oferecerem o tradicional sistema de classes, executiva e leito, contam também com uma espécie de escritório a bordo: mesas para notebooks e tomadas para carregadores.

Tal investimento prova que as viagens executivas não precisam ser feitas de avião ou veículo próprio. É possível os ônibus disputarem essa demanda, e até podem sair vencedores, se souberem potencializar o que possuem de melhor.

 

2 – O custo-benefício excelente

Você que é empresário do setor de transporte rodoviário sabe muito bem:

  • Tarifas promocionais, quando feitas, precisam ser informadas na ANTT;
  • Tal registro, precisa ser feito com pelo menos cinco dias de antecedência;
  • E que tais tarifas promocionais ainda incluem o ICMS (algo que não ocorre na aviação, por exemplo).

Para driblar tais obstáculos, as empresas estão optando por aplicar políticas de preço através do cartão de crédito, dando ao cliente, mais opções para que possa parcelar suas viagens.

Além da certeza pelo melhor preço, um mercado tão competitivo faz com que a empresa também ofereça inúmeras opções de pagamento e que as utilize como influenciadoras poderosas para influenciar a tomada de decisão dos passageiros.

 

3 – Infinidade de opções e recursos

A ideia de custo-benefício sempre está atrelada à expectativa de conforto. Muita comodidade pelo menor preço, essa é a meta ideal!

Pensando nisso, o passageiro quer se sentir cercado por vários recursos e serviços que possam ser usufruídos ao longo de uma viagem. Tais quais:

  • Sistema de classes, para que possa escolher a de sua preferência;
  • Opção para poder comprar suas passagens pela internet;
  • Sistema de TV a bordo, mas que seja eficiente e que possa funcionar off-line;
  • Serviço de internet wi-fi, para se manter conectado no meio da estrada.

 

4 – Viagem na palma da mão

Tecnologia, internet e aplicativos eficientes. Tá aí um trio de combinação perfeito!

Além da possibilidade de poder comprar a passagem pela internet, o passageiro também quer realizar esse procedimento através de celular.

Que tal pensar na possibilidade de adotar um aplicativo que possa levar a marca da sua empresa, oferecendo aos clientes todos os serviços num mesmo lugar?

O cliente quer conforto e inovação, e você quer o cliente. Mais compatibilidade que isso é impossível!